Big Apple: Panqueca de manjericão

Esse mês a temática sugerido pelas Discípulas de Carrie tá muito delícia: Enchendo a pança das Discípulas.

Eu resolvi começar pela Big Apple: Receita secreta. Não sou exatamente uma grande cozinheira. Pra falar a verdade, meus dotes culinários são bem restritos e só começaram a ser testados pouco tempo atrás, envolvendo receitas simples que, se eu faço, qualquer pessoa tem capacidade de fazer. Sério.

A panqueca de manjericão é uma dessas receitas que, desde a primeira vez que fiz, o marido sempre solta um “você devia fazer panqueca mais vezes”. Então tá. Faço sim. Além de super simples, é uma receita rapidinha que eu chamo carinhosamente de “almoço de preguiçoso”.receita

Ingredientes:
1 xícara de leite
1 xícara de farinha de trigo
1 ovo
1 fio de azeite (opcional)
1 pitada de sal (opcional)
manjericão (a quantidade é opcional também, quanto mais manjericão, mais verdinha a panqueca. Uso em média uma xícara de folhinhas.)

Modo de preparo:
Bata tudo no liquidificador. Depois é só aquecer uma frigideira antiaderente, colocar um fio de azeite e despejar a massa. Espera ela ficar numa consistência legal, vira e voilà! Agora é só rechear com o que você quiser.

panquecas

Essas da foto estão recheadas com carne moída, queijo minas e requeijão. Semana passada preparei umas só com queijo e tomate que também ficaram delis.

Não lembro onde vi a receita pela primeira vez, mas é basicamente uma receita de panqueca tradicional + manjericão. Simples, prática e gostosa. Se joga e depois me conta o que achou, faz favor.

Bon appétit!

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

 

CosmoTag: 5 músicas que não saem da minha playlist

Eu sou aloka do Spotify. Depois que fiz a assinatura premium, deletei todas as músicas do meu computador e vivo em função do Spotify. Preciso dizer que foi ótimo em todos os aspectos, passei a ouvir um monte de coisas diferentes e descobri que adoro gastar tempo montando playlists variadas.

Meu gosto musical pode ser bem eclético, dividido em músicas pra ouvir e música pra dançar até o chão (aquelas que não vão aparecer aqui por motivos de tchan tchan tchan tchan tchan). Como escolher as minhas 5 músicas preferidas está fora de cogitação, vamos as 5 queridinhas das minhas playlists ultimamente. Importante dizer: difícil escolher, viu?!

1. Liniker . Zero

2. Kings of Convenience . Stay out of trouble

3. James Bay . Let it go

4. Ventre . Carnaval

5. Magic! . Rude

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

O dia do curinga

Quando era adolescente, uma amiga da escola me emprestou O dia do curinga e lembro de ter gostado demais. Foi meu primeiro contato com Jostein Gaarder – tempos depois comecei O Mundo de Sofia, mas até hoje não terminei -.

Daí, não sei porque, um tempo atrás me deu vontade de reler. A verdade é que minha memória não é das melhores e eu não lembrava da história. Daí esperei o site da amazon distribuir o combo do amor – promoção + frete grátis – e agora tenho um O dia do curinga pra chamar de meu. IMG_8689.JPGNo livro, Hans-Thomas e seu pai cruzam a Europa procurando a mulher que os abandonou oito anos antes. No meio da viagem, o garoto recebe uma lupa e um livrinho com letras microscópicas que contém a história da ilha mágica e da bebida púrpura. Nessas viagens que se entrelaçam, Hans-Thomas é iniciado no pensamento filosófico e passa a obter conhecimentos sobre si e sobre o seu passado, além de nos fazer parar para refletir sobre diversas coisas e diferentes aspectos da vida.

O livro é dividido em naipes e números das cartas de baralho, o que eu acho muito legal. A leitura é bem tranquila, não dá vontade de parar até terminar. Esperei 10 anos para reler  o livro e gostei tanto quanto… ou mais. Leitura muito válida, fica a sugestão.


Livro: O dia do curinga
Autor: Jostein Gaarder
Editora: Seguinte
Páginas: 378

Blahnik Movie: Minha trilha sonora favorita

Esse mês as Discípulas de Carrie tem como tema Dancing with Carrie e todos os posts estão relacionados com música. Por aqui começo com o Blahnik Movie, que propõe trazer minha trilha sonora favorita, de filme ou série. 5th0kv3uozkdcQuem lê esse blog desde o começo sabe que eu sou aloka da trilha sonora da Disney. Então vou ignorar essa parte e, como acho impossível escolher uma trilha sonora favorita, vou falar da primeira sério e do primeiro filme que me vieram a mente.

Então, série. Já falei aqui que My Mad Fat Diary me prendeu, dentre outros motivos, pela trilha sonora. Foi uma das séries que vi e corri pro Spotify. Rae, personagem principal, tem uma relação muito forte com a música, que termina tendo bastante destaque na série. Pra completar, a trilha é formada por bandas e músicas que fizeram parte da minha adolescência, ou seja, rola uma sessão nostalgia por aqui.

Temos Radiohead, Oasis, The Cure, Beck, Blur, Counting Crows, Placebo, Portishead, Alanis, Rage, Massive Atack e tem bem mais, mas acho que essa pequena descrição tá suficiente, né?!1mf

O último filme que corri para a trilha sonora quando saí do cinema foi Como eu era antes de você. Achei insuficiente o que sofri com o livro, depois com o filme, quis prolongar um tanto ouvindo as músicas no repeat. As minhas preferidas são Not today e Don’t forget about me, porque sofrimento pouco é bobagem.

Sei que a ideia inicial era Dancing with Carrie, mas bem, deixo minhas sugestões para chorar com Carrie. :B

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

Procurando Dory

Captura de Tela 2016-07-06 às 11.05.50

Ontem fui ao cinema assistir Procurando Dory. Dessa vez, a história gira em torno de Dory (óbvio, eu sei), que lembra dos seus pais e resolve sair à procura deles.

O filme é uma coisa linda e eu – com minha falta de maturidade – já comecei a chorar nas primeiras cenas. Saí do cinema completamente encantada pela baby Dory, querendo uma pra chamar de minha.tumblr_o93hpojacy1rf73xqo1_500

Mais uma vez a junção Disney•Pixar supriu minhas expectativas. Arrisco dizer que Procurando Dory é tão bom ou até melhor que Procurando Nemo (não vou afirmar nada, pois faz anos que vi Nemo). Ri horrores e chorei um bocado, porque, né?! Sou eu. finding_dory__missing_her_family_gif_by_ninjaturtlefangirl-d9ts9tu

Assisti o filme dublado e em 3D. Não vi graaandes efeitos 3D, mas curti a proposta mesmo assim. Quanto ao áudio, não tenho problemas em assistir animações dubladas, inclusive achei a voz da baby Dory um coisa fofa (um dos elementos que contribuíram pras lágrimas).

Ah, vale dizer que o curta Piper que antecede o filme também é demais.


Filme: Procurando Dory
Título Original: Finding Dory
Ano: 2016
Duração: 97 minutos
♡♡♡♡♡

filmes para desidratar

Dias atrás me juntei com umas amigas da faculdade para assistir filme aqui em casa. A gente precisava de uma desculpa pra não morrer de saudade e o combo filme + gordice + amigas é imbatível, né?! Daí que esse encontro, além de maravilhoso por si só, me deu a ideia dessa série de posts. Melhor encontro❤

Post que surge com encontro de amigas, tem que ter colaboração delas, neah?! Então nessa série serão sempre sugestões de filmes/livros com alguma finalidade específica. 5 sugestões minhas e 5 das lindas que passarem por esse recinto de onde escrevo ou pelo meu whatsapp/telegram.

Para continuar esse post, pega um lençol, porque um lenço não será suficiente para a quantidade de lágrimas que esses filmes vão te fazer derramar. Essa série começa com sugestões de filmes para desidratar, aqueles que ganham facilmente o selo chorei rios.

#1 Como eu era antes de você
O último que me fez desidratar. Gente, eu ri, eu ri muito com Louisa Clark. A quantidade de risadas foi diretamente proporcional a quantidade de lágrimas que derramei em seguida. tumblr_o4x1wjo3gt1t77z9fo2_500

#2 Antes que termine o dia
Aquele filme que você espera uma coisa e vem outra totalmente oposta, junto com lágrimas, claro.antes2bque2btermine2bo2bdia2b3

#3 Sete vidas
Facilmente eleito um dos filmes que mais chorei na vida. Só de lembrar a história do filme, já quero chorar de novo. tumblr_m5sv184grq1rucchbo1_500

#4 Um dia
Falei sobre o livro aqui, e embora não tenha achado o filme tão bom quanto (nunca acho), vale muito cada lágrima. 1a2647ddf79e2726c9debf6f3633418d

#5 Sempre ao seu lado
Filme com cachorro para desidratar facilmente. tumblr_mvyp5r1qi81t05mkyo1_500

O top 5 filmes para desidratar das amigas:

#1 Uma prova de amor

#2 O melhor de mim

#3 A cor púrpura

#4 Histórias cruzadas

#5 As pontes de Madison

Tem alguma outra sugestão de filmes para desidratar? Me conta (;

Blahnik: Blogueira Glamourosa

Inspirada numa entrevista da revista Glamour, o grupo Discípulas de Carrie adaptou e transformou as perguntas na TAG Blogueira Glamourosa, pra ser respondida pelas lyndas que compõem o grupo.

1. Você sempre responde os comentários no seu blog? O que eles representam pra você?
Sempre. Acho que a interação é a melhor parte do blog, sentir que to conversando com alguém, que não to aqui falando sozinha.

2. Qual a primeira coisa que você faz toda manhã?
Olho a hora no celular. Algumas vezes aproveito pra atualizar o feed do instagram e do snapchat também. Viciada, eu? :B

3. Seu lugar favorito no mundo?
Praia ao nascer do sol.

4. O que deixaria todos surpresos sobre você?
As pessoas sempre ficam surpresas quando conto que não sei andar de bicicleta.

5. Estilo é…?
Autoconhecimento.

6. Como seria um dia off perfeito?
Café da manhã com as amigas; Massagem num spa e almoço com o marido; Cartão ilimitado pra comprar roupas com as amigas e um café no final da tarde; Jantar pizza hut com o marido; Um episódio de The Blacklist (porque é a série da vez) pra fechar a noite.

7. Quais aplicativos você mais é adepta?
Instagram, whatsapp e snapchat.

8. E o esporte que mais ama?
Dança❤

9. Quem faria seu papel num filme?
Natalie Portman.

10. Qual é sua SATC girl favorita?
Carrie, acho que ela é uma mistura de todas.

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

CosmoTAG: 5 personagens de livros para ser amiga

Em abril, o grupo Discípulas de Carrie lançou essa CosmoTAG, mas como estava ausente dessa vida, resolvi responder agora. Atrasada sim, mas quem se importa?

Todos os livros que realmente gosto contam com o fato de eu ter me envolvido emocionalmente com um ou mais personagens. Sempre tem um amor platônico, alguém pra quem preciso dizer umas verdades, alguém que quero socar a cara, puxar a orelha ou que quero abraçar e dizer “vem cá, migs”. É esse post é sobre essas últimas pessoinhas.

1. Eleanor
Quando fiz esse post falando sobre Eleanor & Park, falei que queria ser amiga da Eleanor. Queria mesmo. Queria dar um abraço nela e dizer que tudo ia ficar bem. Sofri as dores dela, torci por ela e Park, e chorei até desidratar no final. Eleanor, miga, vem cá, senta aqui, vamos conversar.

2. Auggie
Extraordinário é um dos meus livros preferidos da vida e 90% disso é culpa do Auggie. Que personagem maravilhoso❤ Mais maravilhoso agora que sei que vai ser interpretado pelo Jacob Tremblay no cinema. Vou desidratar, já sei.

3. Emma
Sim, claro, com certeza. Um dia também está na minha lista de queridinhos e se eu quis TANTO esculhambar Dexter, foi pela amizade que eu obviamente tinha com Emma. O tanto que eu chorei no final daquele livro, também tem uma relação óbvia com essa amizade.

4. Louisa Clark
Se alguém leu Como eu era antes de você e não terminou miga da Lou, precisa rever isso aí. Eu já a adorava no livro, depois do filme então… amiga pra vida toda. Até hoje não superei aquele final, não aceitei nada do que aconteceu e vou passar o resto da vida esperando um final diferente, mesmo depois de ler Depois de você. Lou, miga, vamos conversar ali em Paris.

5. Laurel
Em Cartas de amor aos mortos, assim como em Eleanor & Park, foi um apego tão forte que sofri junto, me apaixonei junto, detestei junto e, Laurel, senta aqui, comigo e com Eleanor, vamos conversar.

Quero saber os personagens que vocês gostariam de ser amigs também. Quem sabe não acho umas novas amizades literárias por indicação?!

13333013_1103241236365340_7159263438347960248_n

 

2 anos de CLBS

Voltei. Minha última aparição foi mais de quatro meses atrás, eu sei. Sou dessas que some e reaparece mesmo, desculpa. Mas, bem, tenho várias explicações. A primeira e mais importante: estava estudando loucamente. As demais envolvem os seguintes fatos: nesses meus quase 5 meses de sumiço eu fiz o 10º período de Psicologia, atendi meus pacientes, estudei feito doida, realizei uma pesquisa que virou meu TCC, defendi e fui aprovada com nota máxima. :B

Além disso, vi umas séries. To completamente viciada em The Blacklist (é a minha queridinha da vez), finalizei Penny Dreadful com muito sofrimento, to morrendo em dia com Game of Thrones, curtindo Orphan Black e atrasando Outlander, porque comecei a achar chatinha. yayomg-we-bare-bears-gif-computer

Vi uns filmes também. Gostei muito de Mogli e, de forma muito previsível, chorei com Como eu era antes de você. Li uns livros, poucos, mas li. Terminei Um mais um, depois passei pra Não se apega, não, seguido por A mágica da arrumação e agora estou na metade dO dia do Curinga.

Para fechar meu sumiço com chave de ouro, fui abraçada com fervor pela chikungunya e, ó, não desejo esse abraço pra ninguém.

Resumindo meu desaparecimento: me formei. Agora falta só colar grau pra ser oficialmente psicóloga. A última vez que sentei na frente desse computador pra escrever, foi pra finalizar meu TCC, então vejam bem a importância desse post.

Ah! Tem mais. Voltei pra dizer que não vou sumir de novo, pelo menos não automaticamente, e também pra contar que hoje o blog comemora 2 anos de existência. Grata aos que continuam por aqui. :*tumblr_inline_o28uplehek1twd82w_500

Lidos nas férias

Dizem que o ano só começa depois do carnaval, né? Besteira. Embora esse ano o carnaval tenha chegado beeeeem no comecinho de fevereiro, meu ano ainda começou antes dele. Dia 01 de fevereiro eu estava sentadinha estudando e dia 02 sentadinha assistindo aula. Mas antes de fevereiro chegar eu tive férias maravilhosas que renderam boas leituras. Vou dizer que esse ano eu me superei nas escolhas, viu? Não teve um livro mais ou menos, gostei muito de todas as minhas leituras de férias.

lidos 1

Comecei as férias com Maus, uma graphic novel onde Art Spiegelman narra a história do seu pai, um judeu que sobrevive ao Holocausto. As diferentes raças são representadas por diferentes animais. Os judeus são ratos, os alemães gatos e por aí vai. Bom, viu? O livro é grandinho, a história é densa, mas vale demais a leitura.

O segundo escolhido foi Como ser uma parisiense em qualquer lugar do mundo. Li algumas críticas negativas antes, mas gente, gostei. Não é o livro da vida, na verdade não é um livro para ser levado a sério. É um livro leve, divertido e rápido. Ótimo pra dar uma relaxada depois de Maus.

Em seguida peguei Paixão Crônica, meu primeiro contato com Martha Medeiros, presente da queridíssima Bru. O livro reúne crônicas publicadas durante toda a carreira da autora sobre amor, paixão, desejo, traição e separação. Maravilhoso! Pude comprovar tudo que a Bru já tinha me falado sobre a Martha.

Aí acabou dezembro. Dia 01 de janeiro comecei Mosquitolândia. Falei dele aqui.

O quinto livro das férias foi Morangos Mofados. Eu sempre li Caio Fernando Abreu por aí, mas eu nunca tinha parado para ler um livro do Caio. O livro é ótimo, mas o que me pegou mesmo foi a carta no final. Acho que tenho um fraco por cartas.

lidos2

Depois li Auggie & Eu, que foi tão lindo quanto eu esperava que fosse. Mas sobre ele eu também já falei aqui.

Aí me rendi a Jojo Moyes. Comecei com Como eu era antes de você. MELDELS! Não tenho palavras pra esse livro, só lágrimas. Também já falei sobre ele por aqui e agora preciso ir na livraria buscar Depois de você e me preparar emocionalmente para o filme.

Continuei com Jojo, dessa vez com A garota que você deixou pra trás. Bem bom também, mas não tanto quanto o primeiro. Se alguém ainda não leu Jojo, minha sugestão é que não comece com Como eu era antes de você, porque depois dele os outros são os outros e só…

Daí li A garota no trem. Comprei o livro porque o site da Amazon o relacionou com A verdade sobre o caso Harry Quebert, um dos melhores livros que já li. Embora não alcance A verdade sobre o caso Harry Quebert, A garota no trem é um livro muito bom, daqueles que prendem e surpreendem o leitor.

Daí já era 29 de janeiro e eu precisava dar adeus para minha desocupação e relaxar antes de voltar pra monografia. O décimo e último livro das férias foi A última carta de amor, também da Jojo Moyes. Gente, o que é essa mulher, hein?! Ok que o livro só me prendeu a partir das segunda parte, mas depois disso, praticamente comi o livro. Os finais dos livros da Jojo são sempre incríveis (mesmo aqueles que fazem a pessoa desidratar como foi em Como eu era antes de você).

Agora eu continuo com a Jojo. To lendo Um mais um, mas as férias já acabaram e esse vai ser assunto para outro post. Se quiser acompanhar o que eu ando lendo, eu to no skoob e sempre postando os livros terminados no instagram e no snapchat.

E vocês?  O que leram nessas férias? Sempre fico grata por boas indicações. (;